A nutrição personalizada para a vinha

forrest-cavale-1738-unsplash (1) (1)-compressed

Continuando o assunto do nosso post anterior “Viragem à vinha“, queremos dizer qual é o objetivo desta viragem e o valor que pretendemos contribuir no processo de vinificação.
Na AZ3, a nossa missão sempre foi colaborar com os nossos clientes na elaboração dos vinhos partindo da definição do perfil de vinho desejado. E é nessa mesma linha que pretendemos continuar a trabalhar, de uma forma transversal, conduzindo os objetivos do perfil do vinho para a vinha.

Nestes anos aprendemos que muitos dos problemas que encontramos na adega, poderiam ser resolvidos na vinha: pH elevado, baixos níveis de NFA, perfis herbáceos ou vegetais, falta de fruta, amadurecimento prematuro, falta de cor…. Eles são alguns dos contratempos que nos custam muito esforço e dinheiro para corrigir na adega, e que poderiam ser evitados com uma nutrição fundamentada no solo e na planta.
Assim como hoje em dia, quando personalizamos uma dieta para atingir os objetivos específicos, também podemos personalizar na viticultura e a enologia. Esta personalização visa desenvolver uma nutrição fundamentada no solo e na vinha, que deve garantir de forma rentável a concretização dos estilos de vinhos definidos.
Todos sabemos que o vinho nasce na vinha e que o solo desempenha um papel fundamental na qualidade do vinho. Desde os vinhos de entrada de gama até aos ícones da adega. Sempre teremos melhores resultados num solo saudável e em forma, do que num solo doente e exausto; em termos de qualidade, quantidade ou ambos.

O reservatório de nutrientes do solo está localizado no seu complexo argila-húmus, que é um grande depósito coloidal formado por argila e matéria orgânica, mantido e gerido pela microflora do solo. Em cada colheita, a planta extrai as quantidades necessárias de compostos minerais e orgânicos para produzir as uvas e, pouco a pouco, o solo torna-se empobrecido e mineralizado.
Podemos definir a saúde do solo como a capacidade contínua de se regenerar para manter o seu complexo argila-húmus e continuar a ser sustentável para as plantas e microrganismos.

Ao falar sobre a qualidade de uma parcela, referimos normalmente às características físico-químicas do solo, à orientação, à altura e ao microclima. Hoje todos sabemos que para entender o funcionamento de um vinhedo é necessário conhecer a microflora do solo, uma vez que esta conduz à sua regeneração e enriquecimento do complexo de argila-húmus.

Quanto maior e mais “qualitativa” for a atividade biológica do nosso solo, maior será a capacidade de humificação e regeneração, deste modo o funcionamento da vinha será significativamente melhor. Apenas um solo saudável e em boa forma, cumprirá com os objetivos qualitativos e quantitativos definidos. Como em qualquer atividade vinícola requer um plano de manutenção do mesmo.

viñedo

Com a nossa viragem propomos uma visão objetiva e saudável às vossas vinhas. Para isso, medimos periodicamente os parâmetros físico-químicos e biológicos do solo, assim como o estado nutricional da planta (análise dos pecíolos e das partes aéreas). Com esses dados e os da vinificação, podemos entender o funcionamento da vinha e elaborar um plano nutricional adequado para que cada parcela cumpra com os nossos objetivos:

  • Perfil de vinho definido, requer um perfil de uva necessário.
  • Rentabilidade qualitativa, equilíbrio qualidade / produção.
  • Sustentabilidade da plantação no futuro.
  • Responsabilidade ambiental.

Medir e raciocinar com uma visão transversal do vinho para a vinha, permite tomar as decisões certas na nutrição do solo e da planta como primeiro passo para uma vitivinicultura responsável e objetiva.

Leave a Reply