O Homem, através da manipulação de certas variáveis agronómicas, como a arquitetura da planta, o maneio do solo e a proteção fitossanitária, pode, dentro de certos limites, controlar a qualidade e a expressão do “terroir”, do vinho.

A ÁGUA E O CLIMA

O clima é um elemento fundamental para a qualidade da uva, através do comportamento dos seus principais elementos: a radiação solar, a temperatura, a humidade e as precipitações (Jackson 1986). Na videira a água é um elemento fundamental para o seu crescimento vegetativo e funcionamento fisiológico. Consequentemente, é um fator determinante para o rendimento e para a qualidade das uvas. Uma carência de água, progressiva, durante o período da maturação e com intensidade limitada, para não afetar significativamente a fotossíntese, favorece a acumulação de açúcares e, sobre tudo, de compostos fenólicos, em detrimento do crescimento vegetativo (Seguin 1975, Bravdo et al. 1985, Carbonneau 1987).

STRESS HÍDRICO

Não lhe causes o sofrimento

A água e a temperatura são os principais parâmetros que explicam a variabilidade climática de um terroir vitícola. O consumo de água depende da interação “solo – planta – atmosfera”. O sistema radicular determina o suprimento de água à planta. Para o conhecermos, torna-se necessário obter um método para determinação do estado hídrico da videira e as consequências de um possível stress.

XILEM

Fornecer à terra o que lhe faz falta

Vivelys, desenvolvimento de soluções para o setor vitivinícola. Em colaboração com as equipas de investigação do Dr. Alain Deloire e do Dr. Alain Carbonneau foi desenvolvida uma ferramenta para a avaliação do potencial hídrico das vinhas. Este instrumento deteta o equilíbrio fisiológico da videira. Em função deste e do objetivo pretendido para o vinho, determina as dotações de água necessárias.

OBJETIVOS

  • Determinar o perfil da uva e consequente qualidade do vinho.
  • Determinar o nível de rendimento.
  • Parametrizar uma rega adequada e controlada, como resposta imediata ao stress hídrico (em regiões regáveis).
  • Implementar uma estratégia de médio prazo sobre a gestão vitícola: mobilização do solo, cobertura vegetal, fertilização, intervenções em verde,… (em zonas regáveis e não regáveis).
VÊR FICHA

Continua com o seguinte processo Data ótima de vindima